terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Um gajo moderado

Fumador incontrolado como sou (era???), tenho-me fartado de sorrir com o que tenho lido e ouvido sobre a questão da nova lei do tabagismo.

Até esta manhã, achei que já tinha assitido a todo o tipo de manifestações sobre a matéria.
Eis senão quando me entregam um exemplar do jornal Destak.

Como tenho uma vida atarefadíssima, pouco tempo tenho para ler. Por isso, esqueço as partes desinteressantes, como as notícias sobre a Maddie, sobre o novo aeroporto, sobre o aumento de 68 cêntimos nas reformas, e outras que tais, e vou directamente às partes interessantes do jornal: o cartaz dos filmes e os horários em que estão em exibição, os anúncios e a ficha técnica do jornal.

Ah, e claro, o "Cartas de leitores", o espaço disponibilizado para publicar excertos de cartas que gente ainda com mais tempo livre que eu, que usa parte dele para escrever para jornais.

Essas cartas normalmente são matéria mais que suficiente para alimentar as crónicas deste (ou doutro) blog. Mas uma de hoje encheu-me mesmo as medidas.

Um indivíduo chamado Ricardo Martins, da Sobreda, escreveu uma carta com o título "Fumar não é um direito".
É óbvio que desde o título me senti atraído pelo teor da carta.
Se fumar não é um direito, certamente é um dever.
Quererá isso dizer que esses tantos (muitos, muitos) que andam para aí a resmungar que o fumo os incomoda, afinal estão em incumprimento e que deviam ser compulsivamente obrigados a fumar???
Esta ideia colou-me um sorriso maquiavélico à cara, que não saíu o resto do dia.
;o)))

Mas, lamentavelmente, a carta do amigo Ricardo Martins não ia nesse sentido. Antes começa por nos ensinar o que é um direito: "Por definição, direito é algo que é íntegro, justo, uma regalia, um privilégio".

Depois, com muita serenidade, bom-senso, racionalidade, inteligência, sagacidade e sensatez, continua o nosso amigo Ricardo: "Fumar é algo que mata, tanto a pessoa que o faz como as pessoas que tenham a má sorte de estarem perto daquelas que fumam. Se um fumador, apenas pelo "direito" de fumar acaba por contribuir para a morte de outros que nada têm a ver com essa vontade descontrolada, em que é que isso é diferente de um terrorista que acha ter o direito de matar em nome da causa e acaba por matar outras pessoas que nada têm a ver com ela? Esse terrorista não é um assassino? E o fumador, é o quê?"

Bem... a carta continuava com uma enxurrada de disparates. Perdão, tenho que ser políticamente correcto, pelo que permitam-me substituir o disparates por uma palavra mais adequada. Quiça... imbecilidades?

Está bom de ver que o pobre Ricardo Martins é um pobre coitado, um idiota chapado. E, claro, um exagerado!
É óbvio que os fumadores já estão a ter parte daquilo que merecem (apenas uma pequena parte, eu sei, Ricardo... mas com calma vamos lá).

Agora comparar um terrorista com um fumador?
Que estupidez!!!

É mais que óbvio que o fumador é um gajo muitíssimo mais perigoso.

Ou já viram algum restaurante com autocolantes à porta a dizer que terroristas não podem entrar? Ou que não se pode fazer atentados lá dentro? Não viram, pois não?

E nos transportes públicos? Exactamente a mesma coisa!

E, por acaso, vêm os terroristas a ter que vir à porta dos seus empregos fazer atentados?
Pois está claro que não, Ricardo!

9 sorrisos:

tavguinu disse...

sabes que a CE continua a dar subsidios para o tabaco ? e que a Tabaqueira EP ainda vende tabaco ?

Será qu eno entender do R Martins as FA vendem bombas para o povo por aí em cafés ?

Tita disse...

esta na moda atirarem-se pedras aos fumadores.
pelos vistos tambem esta na moda a estupidez.

chiconline disse...

Os terroristas qualquer dia terão também direito a um selo de proibição, sendo que as explosões por suicidas terão que ser em sitio próprio a designar pela fiscalização, caso contrário arriscam-se a avultadas multas.

Ok, não tem lógica, mas fiquei assim para o abananado (isto existe?) por ter lido à pouco o post da outra que escreve sobre a filha.

Miguel disse...

pahh eu ate pensava que a carta ia dizer alguma coisa interessante mas ta visto que é o completo absurdo...

lol sou a favor da nova lei (em parte) mas também não é preciso exagerar...

mas à parte disso o Destak até costuma ter artigos interessantes :)

cumprimentos

Rita Rente disse...

tudo bem, eu entendo que haja cidadãos que se incomodam com o fumo e com o cheiro a nicotina. mas o fim do tabaco em lugares fechados levará a que um outro odor prevaleça: o cheiro das pessoas. ora, não é preciso ter andado de autocarro mais de duas vezes ou ter assistido a uma ópera para saber que o magnífico cheiro da humanidade é incrivelmente insuportável. tendo como base a cartilha lógica do nosso tempo é fácil encontrar a solução: proibir a falta de higiene. e, mais tarde e ainda mais sensato, proibir as pessoas.



não me troquei não, poderia tê-lo feito. mas nessa noite passou-se tudo tal como relatei.

preservativo semi-usado disse...

os atrasados mentais k ao contra o tabaco deviam andar com um maço enfiado no cu e arrotar fumo.

Sorrisos em Alta disse...

O post é precisamente sobre isso que todos referem: a incongruência e o facciosismo (de qualquer dos lados).

Ainda hoje vi uns gajos duma Associação de Doentes com Cancro a defender que a lei devia ter ido mais longe e se devia ter proibido fumar nas casas e nos carros, bem como nas ruas... quando houvesse pessoas num espaço em redor de 5 metros!!!

Estão a imaginar? Olhe, ó fáxavor, queria um SG, um isqueiro e uma fita métrica!

neo disse...

vai fumar para a varanda
http://br.youtube.com/watch?v=Ayc71c110TA

Sorrisos em Alta disse...

Neo,

Empresa produtiva, aquela...
;o)